Vitória-Régia: inspiração para nossa estamparia


“Todas as noites, essa flor abre suas pétalas enormes, para que a lua ilumine sua corola rosada”.

A lenda da vitória-régia, uma das mais conhecidas do folclore brasileiro, pertence à cultura do norte e explica a origem da planta aquática, que é símbolo da Amazônia.

A vitória-régia é essencialmente uma índia que se afogou no rio ao tentar beijar o reflexo da lua. Os indígenas acreditavam que a lua era um guerreiro poderoso e belo, chamado Jaci, por quem a índia estava apaixonada.

Jaci costumava namorar as índias mais belas da tribo. Naiá, que se transformou em uma das plantas mais exuberante do mundo, era uma das índias que esperava ansiosa pelo encontro com o Deus.

Mesmo com os alertas das tribos, a paixão da índia Naiá por Jaci era maior, e, em determinada noite, à beira do rio, a imagem da lua estava sendo refletida na água. A índia, perdida em ilusões, enxerga o reflexo do seu amado, inclina-se para beijá-lo e acaba morrendo afogada.

Jaci transformava as mulheres por quem se apaixonava em estrelas, mas, ao saber o que tinha acontecido com Naiá, decidiu transformá-la em uma planta aquática, a vitória-régia, que é conhecida como a estrela das águas, como forma de homenagem.

Nossa estamparia traz toda exuberância e imponência da planta, evidenciando a beleza natural e cultural da floresta Amazônica.

Confira: